A paixão segundo G.H.



Considerado por muitos o grande livro de Clarice Lispector, A paixão segundo G.H. tem um enredo banal. Depois de despedir a empregada, uma mulher vai fazer uma faxina no quarto de serviço. Mal começa a limpeza, depara com uma barata. Tomada pelo nojo, ela esmaga o inseto contra a porta de um armário. Depois, numa espécie bárbara de ascese, decide provar da barata morta. Ao esmagar a barata, e depois degustar seu interior branco, operou-se em G.H. uma revelação. O inseto a apanhou em meio a sua rotina "civilizada", entre os filhos, afazeres domésticos e contas a pagar, e a lançou para fora do humano, deixando-a na borda do coração selvagem da vida. Esse desejo de encontrar o que resta do homem quando a linguagem se esgota move, desde o início, a literatura de Clarice. Mesmo sem ser um livro de inspiração religiosa, G.H. tem, ainda, um aspecto epifânico. Ao degustar a pasta branca que escorre da barata morta, a protagonista comunga com o real e ali o divino - a força impessoal que nos move - se manifesta. E só depois desse ato, que desarruma toda a visão civilizada, G.H. pode enfim se reconstruir. O escritor argentino Ricardo Piglia disse certa vez que toda a literatura pode ser reduzida a dois gêneros fundamentais: as narrativas de amor e as narrativas de mistério. Em G.H., essas duas claves básicas da ficção se entrelaçam. Pois é justamente a mistura letal de amor e mistério que chamamos de paixão. (José Castello - jornalista, escritor e mestre em Comunicação)

Na primeira página desse livro a autora escreveu uma mensagem "a possíveis leitores" e diz que "ficaria contente se ele fosse lido apenas por pessoas de alma já formada". Acredito que eu não seja uma dessas pessoas porque nunca um livro me fez me sentir tão mal quanto esse.
Esse não é meu primeiro contato com a obra de Clarice Lispector, já tinha lido "A hora da estrela"e gostei tanto que passou a ser um dos meus livros favoritos, mas com esse, foi tudo diferente.
Eu gosto de histórias diretas e nesse livro a personagem se perde em pensamentos na maior parte da obra, é o chamado fluxo de consciência, acontece que os pensamentos de G.H. me incomodaram muito, chegava a sentir até um aperto no peito conforme ia lendo e só conseguia ler, no máximo dois capítulos por dia.
Além desse desconforto, as cenas em que ela descreve a barata imprensada na porta do guarda-roupa não ajudavam em nada, eu acho barata um bicho muito nojento e toda aquela descrição de patas, antenas, olhos, chegavam a me dar calafrios (não vou nem entrar na parte em que ela come a massa branca que sai da barata porque não gosto nem de lembrar).
Não posso dizer que a leitura tenha sido totalmente ruim, cheguei a dar 3 estrelas para o livro no Skoob porque acabei me identificando com vários pensamentos de G.H. (muito mais com frases soltas do que com o contexto).
Esse foi o livro do Clube de Leitura do grupo Blogs que Interagem, o tema desse mês é "escrito por mulheres". Infelizmente o grupo entrou em hiatus e não sei se esse projeto irá continuar, espero que sim porque estou gostando bastante de participar.
E vocês, já leram alguma obra da Clarice Lispector?

17 comentários:

  1. oi, oi.

    mulher, eu não precisei nem ler a tua opinião pra saber que esse livro deve ser bem nojento. se a Clarice queria polemizar, ela conseguiu o contrário deixando os leitores com nojo. te entendo perfeitamente quanto à não conseguir ler muitos capítulos por dia. to nessa luta com os livros da J.K., mas não sou de desistir.

    bjs!
    Não me venha com desculpas

    ResponderExcluir
  2. Oi! Menina, a Lispector realmente acaba com o meu psicológico. Li só algumas histórias dela (na aula de literatura) mas não pretendo ler mais não... elas me dão agonia também.
    Beijos!
    Maria - doprefacioaoepilogo.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Ler Clarice é uma tarefa muito difícil. Fico encantada como aquela cabecinha conseguia criar obras tão enigmáticas e que nos fazem pensar. Eu tenho o livro "Perto do Coração Selvagem" e até comecei a ler, mas senti que não era a hora certa e resolvi deixar para quando fosse o momento. tenho vontade de ler esse tbm! Beijos

    http://apaixonadaporfinaisfelizes.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Não conhecia a autora mas fiquei curiosa por causa desse desconforto que ela parece causar. Fez-me lembrar um pouco o Kafka pela tua descrição mas talvez nem tenha nada de semelhante :p

    http://venus-fleurs.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  5. Oie
    não conhavia o livro mas a capa e sinopse já não me atrairiam.
    Gostei da sua resenha, mas acho que não seria um tipo de leitura que eu gostaria

    bjos
    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
  6. Parece ser um livro bem interessante, fiquei curiosa rs!

    ResponderExcluir
  7. Nunca li nenhuma obra completa da Clarisse. Mas definitivamente não começarei por este rsrs. que angústia essa cena da barata.. ecaa rsrsrs Beijos

    www.vestidoetenis.com

    ResponderExcluir
  8. Não conhecia esse livro, mas não gostei da sinopse hehe
    Amei o blog e já estou seguindo :D
    Beijos
    BlogCarolNM
    FanPage

    ResponderExcluir
  9. A hora da estrela é um livro que quero muito ler!
    Quanto a este, nunca tinha lido nem resenha, nem sinopse. Mas não é que me interessou? hahaha fico me perguntando o que exatamente levou a protagonista a ~provar a massa branca da barata~ e o que ela concluiu depois disso

    Beijos,
    Kemmy - Duas Leitoras| CONCURSO CULTURAL: escolha um nome, ganhe prêmios

    ResponderExcluir
  10. Poxa, que pena que o grupo entrou em hiatus Bianca. Ainda não li esse livro, um dos poucos que não li da Clarice, e tenho vontade de ler sim.

    ResponderExcluir
  11. Eu também já li A hora da estrela e tinha curtido bastante, você já leu o Ovo e a Galinha? Ou viu um programa de TV (acho que da Cultura) com a Clarice? Esse livro parece ser a personificação dela haha Indico pra você assistir ao programa, acho que vai entender um pouco de fluxo de consciência desse livro. O pior livro que já li com isso foi O som e a fúria, ele é mega tenso, quase desisti no primeiro capítulo!

    www.vestindoideias.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, já li esse conto há muito tempo quando ainda estava no Ensino Médio e na época gostei bastante. Geralmente eu não tenho problemas com fluxo de consciência, mas nesse livro foi bem pesado. Eu já assisti a algumas entrevistas com ela, não sei se foi essa da Cultura, vou procurar :) Beijos

      Excluir
  12. Nunca li nenhuma obra da Clarice Lispector, só via quotes por aí, pelas redes sociais, e gosto da escrita dela, só de ver pelos quotes. Acho que eu gostaria dos livros dela, espero um dia ter a oportunidade de pegar pra ler.

    Beijos!
    www.likeparadise.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só tem que tomar cuidado porque muitos desses quotes que estão espalhados pela internet não são dela. Te aconselho começar por A hora da estrela ou por contos, são muito bons. Beijos

      Excluir
  13. Olha, eu amei A hora da estrela e muitos contos e crônicas de Clarice, não lembro se li outro romance dela. Acho que não. Mas não gostei desse, não me incomodou e eu gosto do fluxo de consciência em outros autores como Lygia Fagundes Telles, mas talvez Clarice exagerou no recurso ou eu ainda não tenho a maturidade para gostar dele. Bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também gostei de outras obras com fluxo de consciência, o problema foi esse livro mesmo, também acho que ela exagerou. Beijos

      Excluir

Comentários sobre o post são sempre bem-vindos, mas comentários do tipo "Legal, passa no meu blog" serão ignorados.
Nem sempre respondo os comentários aqui, mas se seu comentário foi sobre o post, com certeza irei responder no seu blog.