O ladrão do tempo


O ano é 1758 e Matthieu Zela resolve abandonar Paris e fugir de barco para a Inglaterra, depois de ter testemunhado o assassinato brutal da mãe pelo padrasto. Apenas um garoto de quinze anos na época, ele leva consigo o meio-irmão caçula, Tomas, criança que se vê impelido a proteger. Começando com uma morte e sempre em busca de redenção, a vida de Zela é marcada por uma característica incomum: antes que o século XVIII acabe, ele irá descobrir que seu corpo parou de envelhecer. Sua aparência é de um homem de cinquenta anos, mas o tempo passa e seu físico continua imutável. Ele simplesmente não morre e não faz ideia de qual seja a razão para que isso ocorra.
Ao final do século XX, ele resolve olhar para o passado e rememorar sua experiência de vida, incomparável à de qualquer outro ser humano. Da Revolução Francesa à Hollywood nos anos 1920, da época das Grandes Exposições à quebra da Bolsa de Nova York, Zela transitou por inúmeros lugares, exerceu diversas profissões e conheceu pessoas notáveis, além de ter se apaixonado por muitas mulheres. Mas, mesmo séculos depois, ele continua certo de que seu verdadeiro amor foi Dominique Sauvet, uma jovem que conheceu no barco que tomou com o irmão para escapar da França. O trio se uniu para começar a nova vida na Inglaterra e Matthieu se viu totalmente encantado por Dominique.
Com uma trama absolutamente instigante de amor, morte, traição, oportunidades perdidas e esperança, John Boyne já anunciava neste primeiro romance o seu talento inconfundível de exímio contador de histórias.
Esse livro foi diferente de todos os livros que já li. O personagem principal, Matthieu Zela, tem mais de duzentos anos e os capítulos são alternados entre o tempo presente (1999) e sobre suas lembranças dos séculos anteriores. Ele viveu em vários países, vivenciou vários eventos históricos e conheceu muitas pessoas famosas e importantes e passa o livro todo contando sua vida.
Além de ele não envelhecer, outro fato inusitado o acompanha durante todo esse tempo, todos os descentes de seu meio irmão se chamam Thomas (ou Tomas, Tom, Tommy, etc) levam uma vida desregrada e acabam morrendo na faixa dos 20 anos, sempre deixando uma namorada ou esposa grávida de outro menino que receberá o mesmo nome do pai e continuará o ciclo.
Gostei bastante desse livro, a única coisa que me incomodou foi que o autor não explicou muito bem como o personagem principal conseguiu viver todos esses anos sem envelhecer. Fora isso, é um livro muito bom, principalmente para quem gosta de História. Recomendo a leitura.


3 comentários:

  1. Adoro acho muito legal
    Beijos ♥
    http://michelimartins2929.blogspot.com.br/#

    ResponderExcluir
  2. Ai adoro esses livros enigmáticos, pena que o autor não soube dar uma final :s Mas ainda quero ler! haha

    www.vestindoideias.com

    ResponderExcluir
  3. Parece interessante e me lembrou o filme A Incrível História de Adaline!
    Beijo

    ResponderExcluir

Comentários sobre o post são sempre bem-vindos, mas comentários do tipo "Legal, passa no meu blog" serão ignorados.
Nem sempre respondo os comentários aqui, mas se seu comentário foi sobre o post, com certeza irei responder no seu blog.