Como aprendi a me amar?



Nesse fim de semana, enquanto procurava postagens para o Sunday With Love, me deparei com o post da Simone falando sobre o projeto "Me amo assim", me identifiquei muito com o que ele propõe e logo entrei no grupo para fazer parte.


O grupo foi criado com a intenção de ajudar e propor amor próprio a meninas(os) que não se aceitam ou tem dificuldade de olhar pra si mesmo e dizer com firmeza "ME AMO DO JEITO QUE SOU".
Eu passei boa parte da minha infância e adolescência sendo gordinha, não era obesa, mas sempre tive uns quilinhos a mais. Quando eu era criança, não me importava muito com isso, não me sentia diferente de ninguém, até que começaram os comentários maldosos.
Um dos primeiros que me lembro foi um que me machucou bastante. Eu devia ter uns 8 anos e fazia aula de dança na escola, cheguei em casa toda feliz para mostrar para a minha família um passo novo que tinha aprendido na aula. Nesse dia, uma amiga da minha tia estava na minha casa e assim que terminei de mostrar o que tinha aprendido ela me disse: "Acho que sei o que você quer fazer, mas como você está gorda, não consegue fazer direito". Foi como se alguém tivesse jogado um balde de água fria em cima de mim, não sabia o que fazer, fiquei com vontade de chorar e não ver mais ninguém.
Na adolescência eu cheguei a emagrecer um pouco, mas como a maioria das minhas amigas eram muito magras, eu continuei a me sentir gorda. Via todas as minhas amigas com namorados, recebendo bilhetinhos e achava que o motivo para eu não ter nada daquilo era porque eu estava acima do peso.
Aos 22 anos, eu comecei a trabalhar em um curso de Inglês, como eu quase não tinha tempo para comer, emagreci muito. O problema é que mesmo magra, eu me sentia gorda e conseguia ouvir, na minha cabeça, todas aquelas pessoas dizendo que eu não era boa o suficiente para esportes, que nunca conseguiria um namorado que gostasse de mim do jeito que eu era e todos os outros comentários que ouvia desde a infância.
Nem me lembro de quantas dietas já fiz (com acompanhamento de nutricionista e sem também), já passei fome, me senti mal muitas vezes por causa do meu peso e até hoje escuto pessoas dizendo coisas como "tá engordando, hein?"
Não posso dizer que isso não me afeta hoje em dia, mas tenho tentado não deixar que esses comentários me deixem pra baixo. Eu faço exercícios físicos toda semana, como comidas saudáveis e todos os meus exames estão ótimos e acho que isso é o mais importante. Nunca serei magrinha como essas mulheres que aparecem na TV, mas isso não fará com que eu me sinta pior do que elas.

Acompanhe outras participantes:

18 comentários:

  1. Infelizmente os comentários maldosos sempre ficam marcados, como se as pessoas que os fazem fossem perfeitas. Você é linda e saudável e como você disse isso é o mais importante né?
    Beijos

    http://diadespa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, muita gente aponta os defeitos dos outros e se esquece que também é cheia deles.

      Excluir
  2. Aprender a se amar é sempre fundamental, né? Eu confesso: tenho uma autoestima muito baixa. Muito mesmo. Não me acho linda, nem magra/gostosa e enfim, foda-se, sabe? ahhaha O que importa é que eu tenho saúde e eu me sinto bem comigo mesma -o que é muito contraditório a priori-, mas é que eu percebi que tem coisas que não podem ser mudadas (nada que eu faça vai deixar meu quadril maior, por exemplo), então que tal parar de me irritar com isso e tentar achar isso bonito? E to me sentindo mais segura, sei que beleza não é tudo e me acho interessante, então isso que importa, por fim.
    E to pra te falar que esse amor próprio reflete até na imagem que eu tenho de mim mesma, que melhorou muito desde que chutei esse balde :D
    Um beijo,
    Isabella
    The Urban Trends

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, não temos como lutar contra a genética, o jeito é nos aceitarmos do jeito que somos.

      Excluir
  3. Quando eu era menor, também era gordinha e ouvia esse tipo de comentário, até as professoras falavam. Hoje, não sou a magreza em pessoa, mas aprendi que tenho que ME aceitar antes de tudo, se eu estou feliz comigo mesma, não importa a opinião dos outros! E isso é bem legal de praticar: parar de ligar para o que os outros pensam. Eu sei, é dificil! Mas, não é impossível!

    Cheiro de Pipoca

    ResponderExcluir
  4. Nossa, mas que amiguinha idiota essa que comentou uma coisa nada haver. A pessoa quando dança bem, dança bem e ponto. Não importa seu tipo físico. Recentemente eu fiz um vídeo sobre isso, amor próprio, que responde principalmente essa dúvida de "por que as minhas amigas magrinhas tem namorado e eu não?" e a resposta que você pensou aí tá super errada. Aqui o vídeo, caso queira ver: https://www.youtube.com/watch?v=Gp1FXN37ruA

    Beijos!
    www.likeparadise.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hoje em dia eu sei disso, mas parece que tudo fica pior quando estamos na adolescência. Vou ver seu vídeo :)
      Beijos

      Excluir
  5. Eu nunca tive o problema de me amar como eu não era sabe? Meu maior problema sempre foi e sempre será com espinhas. Eu tive muito na vida, era aquelas tipo doença sabe? Então, mas ninguém queria saber, falavam que tinham nojo de mim, chegavam a oferecer creme pra mim, dizendo que não ia adiantar já que meu problema não ia ser tratado com aqueles cremes, fui muito humilhada por isso. Hoje eu assim como você ainda fico meio assim quando falam algo, mas sei lá, to tentando me aceitar como sou. E bola para frente, meu lema agora é: "Se você não paga minhas contas, não têm que opinar nada".

    www.vestindoideias.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É assim que tem que ser, eu também estou tentando não dar tanta confiança pra esses comentários.

      Excluir
  6. Esse tema é maravilhoso, amei tudo o que você escreveu. Essa ideia é maravilhosa.
    Também to no grupo, mas ainda não fiz meu post. Preciso pensar hehe
    Respondi sua tag (:
    beijos

    www.followcintia.com

    ResponderExcluir
  7. Com o fato de ser gordinha desde criança e ouvir comentários maldosos: me relacionei, haha. Sempre sofri com a balança e sempre descontava o meu problema na comida, resultado: engordava mais e minha saúde ia de 6 à 2. Foi de uns anos pra cá que eu percebi que teria que praticar exercícios físicos e ir à uma nutricionista (seguir uma dieta DE VERDADE e emagrecer), tudo isso para a minha saúde. E fazer tudo isso me ajudou muito a me sentir bem comigo mesma - não porque eu emagreci - mais porque eu comecei a fazer as coisas POR MIM e PENSANDO EM MIM. Já escrevi/escrevo sobre vários desses assuntos no meu blog e sempre falo que devemos se sentir bem com nós mesmos! Fico feliz que outras pessoas também estão falando sobre isso, porque é importante! =)
    http://laemjupiter.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Que ideia bacana desse grupo! Eu também nunca fui magro, do tipo esquelético. Sempre tive alguns quilinhos a mais e, sinceramente, nunca me importei com isso. Com as mulheres é mais complicado, né?! O mundo/as pessoas acabam cobrando mais.

    Eu acho que mais importante do que ter um corpo perfeito, é a pessoa estar bem consigo mesmo e viver a vida numa boa. É claro que gordura não é sinônimo, mas se os exames provam que tá tudo ok, pra que pirar por canta de uma exigência (?) da sociedade?!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com as mulheres tudo é mais complicado hehe

      Excluir
  9. VOCÊ E LINDA, e para com essa ideia de que se magrinha e maravilhoso
    Eu sou magrinha, sempre fui, nunca engordei, sempre tive problemas com isso, sofria na escola muito preconceitos, eram comentários maldosos o tempo todo, ate minha mãe tava querendo que eu engordasse (minha mãe e gordinha).
    As pessoas acham que só porque você e magra qualquer roupa veste em você, e não e bem assim, a não e mesmo.
    Eu também estou participando do projeto, e ótimo saber que eu não estou sozinha, que outras meninas se sentem como eu me sinto.
    Parabéns pelo blog, seu corpo e perfeito, pare de querer se magra
    www.lamoonier.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo elogio! Acho que todo mundo que sai do "padrão" acaba tendo problemas, mas temos que nos aceitar como somos.

      Excluir
  10. O padrão da sociedade não pode definir como nós devemos nos ver. Cada pessoa tem sua beleza e ninguém precisa ter corpo de Paola Oliveira pra se sentir bela e feliz! Parabéns pela sua garra,,são essas e outras coisas que te torna linda.

    <a href="Blog Segura-me>http://blogsegurame.blogspot.com.br/</a>

    ResponderExcluir

Comentários sobre o post são sempre bem-vindos, mas comentários do tipo "Legal, passa no meu blog" serão ignorados.
Nem sempre respondo os comentários aqui, mas se seu comentário foi sobre o post, com certeza irei responder no seu blog.