Abraçando patinhas



“Esta blogagem coletiva faz parte do projeto Abraçando Patinhas, uma iniciativa do Rotaroots em parceria com a marca de ração Max – da fabricante Total Alimentos. Esta iniciativa reverterá na doação de 1 tonelada de ração para a ABEAC, ONG responsável pelo bem estar de cerca de 1100 cães. Saiba mais sobre o projeto no site do Abraçando Patinhas ou participando do grupo do Rotaroots no Facebook.”
Quem me segue no Instagram está acostumado a ver as milhares de fotos da Shanti, minha lhasa apso que completa 5 anos amanhã, mas pouca gente conhece a história dela e minha história com cachorros.


Quando eu era bem pequena, eu morria de medo de cachorro e até hoje não sei o porquê disso. O tempo passou e eu fiquei cada vez mais apaixonada por esses seres peludinhos. Vivia pedindo pra minha mãe para ter um cachorro e, como moramos em apartamento, ela sempre dizia que não tinha espaço e nunca concordava com a ideia.


 No final da minha adolescência eu tive um episódio muito sério de depressão e depois de alguns anos de tratamento, o médico disse que seria bom que eu tivesse um bichinho de estimação. Minha mãe relutou por mais um tempo, mas acabou aceitando e eu e meu irmão saímos a procura de um cachorrinho.


A Shanti chegou aqui em casa com 9 meses, ela era de uma conhecida da minha tia que estava tendo dificuldades para manter a mãe dela e ela na mesma casa. Antes de vir para cá ela se chamava Nina, mas como minha prima já tinha uma cadelinha com esse nome, resolvemos colocar Shanti para ficar diferente e ela aceitou o nome super bem. Ela também era muito medrosa, não sabia subir nem descer escadas, não estava acostumada com coleira, tudo aqui em casa foi uma novidade para ela.
Minha mãe e meu pai, que foram os que mais relutaram para ter um cachorro aqui em casa, hoje em dia a tratam como a bebê da casa.
Quando o Rotaroots sugeriu esse tema para o post especial do mês, eu fiquei muito animada, pois assim como a Shanti foi adotada, eu gostaria que todos os cãezinhos abandonados encontrassem um lar onde eles fossem amados e bem cuidados. Só que temos que ter consciência que ao adotar um animal, estamos assumindo uma responsabilidade muito séria. Aqui estão algumas atitudes que você deve tomar se está pensando em adotar um animalzinho.

  1. Antes de adquirir um animal, considere que seu tempo médio de vida é de 12 anos. Pergunte à família se todos estão de acordo, se há recursos necessários para mantê-lo e verifique quem cuidará dele nas férias ou em feriados prolongados.
  2. Adote animais de abrigos públicos e privados (vacinados e castrados), em vez de comprar por impulso.
  3. Informe-se sobre as características e necessidades da espécie escolhida – tamanho, peculiaridades, espaço físico.
  4. Mantenha o seu animal sempre dentro de casa, jamais solto na rua. Para os cães, passeios são fundamentais, mas apenas com coleira e guia, e conduzido por quem possa contê-lo.
  5. Cuide da saúde física do animal. Forneça abrigo, alimento, vacinas e leve-o regularmente ao veterinário. Dê banho, escove e exercite-o regularmente.
  6. Zele pela saúde psicológica do animal. Dê atenção, carinho e ambiente adequado a ele.
  7. Eduque o animal – se necessário, por meio de adestramento -, mas respeite suas características.
  8. Recolha e jogue os dejetos em local apropriado.
  9. Identifique o animal com plaqueta e registre-o no Centro de Controle de Zoonoses. Também é recomendável uma identificação permanente (como o microchip).
  10. Evite as crias indesejadas de cães e gatos. Castre os machos e fêmeas. A castração é a única medida definitiva no controle da procriação e não tem contra-indicações.

Se você não tem como adotar um cãozinho, mas gostaria de ajudar de alguma forma, a Max – Total Alimentos conta com um programa de responsabilidade social chamado Max em Ação. No hotsite, é possível localizar ONGs cadastradas no projeto e fazer sua doação através do site, com valores a partir de R$6 (equivalente a 1kg). A cada doação feita para a ONG de sua preferência no site da campanha, a Max acrescenta mais 50% em cima. Ou seja: se você doa 10kg, a Max acrescenta mais 5kg e a ONG recebe, somente na sua doação, 15kg de ração.
O Rotaroots já conseguiu 1 tonelada de ração para a ABEAC, uma associação que cuida de 1100 animais em São Paulo, mas você pode ajudar a aumentar essa quantidade com a sua doação. É só clicar nesse link e colaborar. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários sobre o post são sempre bem-vindos, mas comentários do tipo "Legal, passa no meu blog" serão ignorados.
Nem sempre respondo os comentários aqui, mas se seu comentário foi sobre o post, com certeza irei responder no seu blog.