As vantagens de ser invisível



Ao mesmo tempo engraçado e atordoante, As vantagens de ser invisível reúne as cartas de Charlie, um adolescente de quem pouco se sabe - a não ser pelo que ele conta nessas correspondências -, que vive entre a apatia e o entusiasmo, tateando territórios inexplorados, encurralado entre o desejo de viver a própria vida e ao mesmo tempo fugir dela.
As dificuldades do ambiente escolar, muitas vezes ameaçador, as descobertas dos primeiros encontros amorosos, os dramas familiares, as festas alucinantes e a eterna vontade de se sentir “infinito” ao lado dos amigos são temas que enchem de alegria e angústia a cabeça do protagonista em fase de amadurecimento. Stephen Chbosky capta com emoção esse vaivém dos sentidos  e constrói uma narrativa vigorosa costurada pelas cartas de Charlie endereçadas a um amigo que não se sabe se é real ou imaginário.
Íntimas, hilariantes, às vezes devastadoras, as cartas mostram um jovem em confronto com a sua própria história presente e futura, ora como um personagem invisível à espreita por trás das cortinas, ora como o protagonista que tem que assumir seu papel no palco da vida. Um jovem que não se sabe quem é ou onde mora. Mas que poderia ser qualquer um, em qualquer lugar do mundo.

Eu já tinha ouvido muita gente falar desse livro e ele ficou na minha lista de livros para ler por um tempão, finalmente consegui ler e fiz isso muito rápido, em dois dias!
As cartas do livro foram escritas no início dos anos 90 (entre 91 e 92) e mostram muito sobre os costumes da época como gravar fitas cassete com as músicas favoritas (quem nunca fez isso?!). O livro me ganhou logo no comecinho quando ele cita uma música dos Smiths, Asleep.

Além de citar várias músicas dos anos 80 e 90, o livro também cita vários livros e o personagem principal fala sua opinião sobre eles enquanto os lê.
No fim do livro, eu sentia como se realmente conhecesse o Charlie e, apesar de não ser mais adolescente, me identifiquei muito com o livro porque me lembrou muito da minha adolescência (que não foi há tanto tempo assim).
Esse livro virou filme em 2012, mas ainda não assisti, sempre prefiro ler o livro primeiro para depois ver o filme baseado nele. Alguém que já viu sabe se ele é fiel ao livro?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários sobre o post são sempre bem-vindos, mas comentários do tipo "Legal, passa no meu blog" serão ignorados.
Nem sempre respondo os comentários aqui, mas se seu comentário foi sobre o post, com certeza irei responder no seu blog.