Buenos Aires: parte 2

Continuando a segunda parte da série de posts sobre Buenos Aires, hoje vou mostrar os lugares que visitamos no segundo e terceiros dias em que estivemos por lá.
No segundo dia, fomos ao Teatro Colón logo de manhã, mas só tinha vaga para a visita guiada para depois de 11h da manhã, então ficamos andando pelos arredores até chegar o horário da visita.

Teatro Colón
O preço da visita guiada foi bem salgado, 250 pesos argentinos (aproximadamente 55 reais), mas, o lugar é tão lindo que compensou. O Teatro Colón é a principal casa de óperas de Buenos Aires e tem uma das melhores acústicas do mundo. A visita teve duração de aproximadamente meia hora e pudemos conhecer muitas curiosidades sobre o local. Durante a visita também pudemos assistir a um trecho de um ensaio da ópera que estava em cartaz, a guia disse que é raro isso acontecer e gostamos muito da experiência.

Interior do Teatro Colón
Almoçamos em um restaurante chamado Café Metro Bar que fica perto do teatro e comi o maior bife da minha vida (que nem consegui comer tudo de tão grande) e o dono do restaurante ainda me deu um pedaço gigante de pudim como cortesia (e eu tive que comer pra não parecer mal educada).

De tarde, passamos na livraria El Ateneo, antigamente ela era um teatro então o prédio é muito bonito, mas só valeu a pena pela arquitetura mesmo, os livros estavam super caros e acabei não levando nada.

Livraria El Ateneo
Nesse dia começou a chover muito enquanto estávamos na livraria e tivemos que voltar para o hotel, só saímos mais tarde para fazer um lanche no McDonald's que ficava por perto.

No dia seguinte, o tempo já estava bom e aproveitamos para visitar o Jardim Japonês. Eu já tinha me encantado pelo Jardim Japonês de Montevidéu, mas o de Buenos Aires é muito mais bonito.

Jardim Japonês
Lá dentro tem um restaurante japonês muito bonito e também caro, chegamos a entrar, mas desistimos quando vimos os preços, quase R$200 reais por prato! Acabamos almoçando numa das barraquinhas do parque, elas vendem crepes, empanadas e combos com um salgado, batatas fritas e suco, também não é barato, mas é muito mais em conta do que o restaurante japonês.

Como estávamos perto, passamos em frente ao planetário para tirar algumas fotos, mas tinha uma fila enorme em frente e decidimos não entrar.

Planetário

Nós jantamos num restaurante chamado 1810 Cocina Regional Argentina, ele ficava bem perto do nosso hotel e, pela primeira vez, não achamos os preços muito altos, amei as empanadas de lá, foram as melhores que comi durante a viagem, até coloquei uma foto de uma delas no Instagram.

No próximo post vou mostrar a última parte da viagem, como deu pra perceber, Buenos Aires é uma cidade muito cara e isso acabou nos desanimando um pouco, mas, no final deu tudo certo. O que estão achando dos posts da viagem?


Buenos Aires - parte 1

Como alguns de vocês já sabem, eu passei minha lua de mel em Buenos Aires e hoje vou começar uma série de posts sobre a viagem (como passei uma semana por lá, não daria pra contar tudo em um post só).
Nós chegamos lá no final da tarde do dia 3 de agosto, como estávamos super cansados, nem saímos nesse dia, só fomos até a loja ao lado do hotel pra comprar um adaptador de tomada (se você for pra Argentina, vai precisar de um já que o tipo de tomada deles é bem diferente do nosso) e jantamos no hotel mesmo.
No dia seguinte, tínhamos um tour de ônibus pela cidade que foi programado pela agência de viagens. Conhecemos os principais pontos turísticos e deu pra ter uma ideia do que gostaríamos de ver com mais calma depois.

Faculdade de Direito

A primeira parada foi na Faculdade Direito, esse prédio bonito da foto acima. Logo ao lado dele fica a Floralis Genérica, uma escultura gigante de metal em formato de flor que fica aberta durante o dia e fechada durante a noite. Essa flor foi doada para a cidade pelo arquiteto Eduardo Catalano no ano 2000 e foi colocada na Plaza de las Naciones Unidas dois anos depois.
Floralis Genérica


Nossa segunda parada foi na Plaza de Mayo onde fica a Casa Rosada e a Catedral (local onde o Papa Francisco fazia missas quando era bispo de Buenos Aires, nessa praça tem até uma árvore plantada por ele). A Casa Rosada só fica aberta para visitação aos domingos e, como tínhamos um roteiro totalmente diferente em mente pra esse dia, acabamos só a vendo do lado de fora mesmo.

Casa Rosada
Depois fomos para o Caminito, que fica no bairro da Boca. As casas de lá são todas de chapa de metal pintadas com cores vibrantes, antigamente era um cortiço e, em cada casa moravam aproximadamente 15 famílias, mas, depois de um tempo, passou a ser ponto turístico e muitas delas acabaram virando lojas e restaurantes.



O ônibus nos deixou em frente às Galerias Pacífico, que é um shopping muito charmoso, deem uma olhada nesse teto, ele fica dentro do shopping!

Teto das Galerias Pacífico


Aproveitamos que já estava na hora do almoço para almoçar por lá mesmo. Comemos num restaurante chamado Las Brasitas e a carne estava muito boa. Uma coisa curiosa em relação aos restaurantes argentinos é que a maioria deles cobra uma taxa pelos talheres, esse restaurante era um pouco diferente, pagamos a taxa antes de recebermos os pratos e ganhamos duas fichas, se as devolvêssemos depois da refeição, eles nos devolviam o dinheiro da taxa.
Galerias Pacífico

Nesse dia jantamos numa pizzaria chamada El Cuartito, a massa de pizza argentina é bem diferente das do Brasil, mas gostei bastante. Encontramos essa pizzaria pelo TripAdivisor e ela foi avaliada como um restaurante barato, mas achamos que os preços estavam bem parecidos com os outros restaurantes de lá. Apesar do real valer quatro vezes mais que os pesos argentinos, achamos muito caro comer por lá, pra vocês terem uma ideia, uma garrafa de água mineral saía por quase 10 reais e esse também era o preço de uma garrafinha de refrigerante. Por falar em água mineral, além de ser super cara, a maioria das águas argentinas têm muito sódio (40mg/L) e sofremos bastante nos primeiros dias, só depois de pesquisarmos pela internet, descobrimos a água mineral Glaciar que tinha menos de 10mg de sódio por litro e foi uma alegria quando eu tomei o primeiro gole, finalmente uma água sem gosto e que matava a minha sede! A melhor parte é que essa marca de água era muito mais barata que as que tinham mais sódio, saiu por mais ou menos 4 reais a garrafa.

O que acharam desse primeiro dia? No próximo post vou mostrar outros lugares que visitamos por lá, espero estejam gostando. 

Unhas da semana: Plaquinha Born Pretty Store

Semana passada recebi mais produtos da Born Pretty Store. Os primeiros que testei foram a plaquinha e o esmalte para carimbo.



Achei os desenhos dessa plaquinha super fofos, apesar de ser pequena, ela tem várias estampas diferentes, todas florais.
O esmalte também é muito bom, bem pigmentado e fácil de limpar. O meu único problema foi que não consegui deixar as estampas completas nas minhas unhas, mas acho que o problema foi com o carimbo que tenho aqui, eu o tenho há bastante tempo e não o usava porque não tinha plaquinhas bonitinhas, mas acredito que ele não transfira bem o esmalte para as unhas ou então eu não sei usá-lo.


Mesmo ficando um pouco falhado em algumas unhas, gostei do resultado, achei que ficou bem diferente e delicado. Usei como base o esmalte Bali, da Risqué, amo essa cor!

Sei que não são as melhores unhas que já postei, mas quis mostrar como realmente ficaram. Lembrando que a Born Pretty Store disponibilizou um código de desconto para os leitores do blog, é só escrever BELLX31 no final da compra para receber 10% de desconto.


 

criado e codificado para o blog bluebell bee
cópia proibida © 2015